2006/07/25

Lost in Translation

Provávelmente lembram-se daquele deliciosos filme da Sofia Coppola, Lost in Translation.

O qué que o Bill Murray tem a haver com BIM?
Não, o nick dele não é Bill 'the Idiot' Murray.

O título deste filme foi genialmente aplicado, pois Lost in Translation tem, pelo menos, um duplo significado: Bill não consegue perceber o que o realizador japonês, e por acréscimo, todos os japoneses lhe querem comunicar, porque o significado perde-se na tradução; mas também porque ele se sente perdido (lost para os mais distraídos).

Vai daí, o tradutor português decide ser creativo e chamar ao filme "Amor é um Lugar Estranho".
!
Eu suspeito que o cérebro dos nossos tradutores deve ser um lugar bem mais estranho.

Com este golpe criativo, a criatura consegui transformar um título apelativo e irónico (porque não Perdido na Tradução ?) numa frase banal e vazia de conteúdo, cheia de subentendidos que na realidade não existem, bem ao gosto dos portugueses.
Enfim.

Mas, pergunta o chato de serviço, quéque isso tem a haver com BIM.
Tudo!

Vejamos o exemplo de C.A.D.
No original, C.A.D. era Computer Aided Design.
Os portugueses continuam a chamar-lhe C.A.D., mas agora com a tradução Desenho Assistido por Computador.

Desenho, meus senhores, desenho!

Para o bimbo (não BIMbo, note-se) do tradutor, design e desenho são a mesma coisa.

Bem sei que muitos recém-licenciados de arquitectura são usados como desenhadores em gabinetes, mas daí a reduzir o design a desenho...

Por outro lado, a tradução até nem está muito incorrecta. De facto, quase toda a gente usa o CAD para desenhar, tipo prancheta electrónica, sem acrescentar uma grama ao processo criativo do projecto.

Vem isto a propósito do B.I.M.:

Qual vai ser a tradução portuguesa para Building Information Model?
Modelo do Edifício Informado?
Modelação Informático/Edificada?
Construindo um Modelo de Informação?
Ou, mais inspiradamente,
O Modelo Informático do Edifício é Um Lugar Estranho?

Aceitam-se apostas.

5 comentários:

Krippmeister disse...

Lembro-me do filme. Mais concretamente lembro-me da Scarlett Johansson... E o que é que a Scarlett Johansson tem a ver com o BIM? Nada, mas é sempre bem aparecida onde quer que seja.

Quanto à proposta, parece-me que o mais interessante seria pegar numa das propostas mais absurdas e "abrasileirar" o nome. Ora leiam lá isto com sotaque brazuca a ver se não soa bem - "Contruccionando Modelamentificações Informativacionais"

Revit_blog disse...

Nas minhas modestas apresentações, optei por uma tradução pessoal de BIM para Modelo de Informação do Edificio ( a ideia original era Obra...mas ouvi uns comentários menos próprios). Acho que pelo menos captei a essencia da ideia.

Miguel Krippahl disse...

Fernando

O que está num nome? Nada. Tudo...

A Autodesk, jogadora tardia neste campenato, não tendo podido inventar o conceito, inventou o nome - Building Information Model.

Para mim, o nome já estava inventado, e bem, há mais de 20 anos, pela graphisoft - Virtual Building.

E a tradução até nem é das piores - Edifício Virtual.

Infelizmente esta designação é uma trade mark. A Graphisoft entendeu registar o nome, dando assim um enorme tiro no pé.

Faltava-lhes um americano a gerir a companhia...

Anónimo disse...

nossa... pensei que o título em português fosse: ENCONTROS E DESENCONTROS..

Anónimo disse...

Aplausos para um texto tão pequeno e tão cheio de verdade.
Aqui quem escreve é uma "brazuca" recem licenciada em arquitetura e usada como desenhista. Portanto, eu diria, insatisfeita!! Mas muito feliz por descobrir este espaço na rede.
Parabéns a este blog.