2007/01/20

Eu tenho um sonho...

Com mais de sete anos de experiência com uso intensivo de software BIM na concepção arquitectónica, vivo à espera que os seus fabricantes cumpram as promessas de amanhãs que cantam.

Uma das promessas, talvez a que mais me tem seduzido, é a do orçamento instantâneo, em tempo real, conforme o projecto vais sendo modelado.

A cada instante, a cada inserção de cada elemento, o software vai adicionando os custos parciais e, numa simples janela, localizada num canto qualquer do monitor, exibe o resultado.

Imaginem o impacto que esta pequena janela teria na concepção dos projectos, na própria arquitectura que se pratica.

O desenho está aqui. Falta apenas aos senhores programadores fazerem o resto.

19 comentários:

Krippmeister disse...

Hehehe muito cool. O pior é quando o cliente tiver o mesmo número a ser actualizado constantemente no seu PDA. Vai-te ligar de cinco em cinco minutos.

"Ó Sr. arquitecto! Essa coisa de 25.000 euros que voçê adicionou agora é mesmo necessária?"

Miguel Krippahl disse...

Resposta do arquitecto:
"Ó senhor Ambrósio, necessário necessário para si, nem por isso. mas para mim dá um jeitão, para o meu portfolio."

Horácio Luís Baptista disse...

Nesses custos já estão incluidos os desvios orçamentais?

Miguel Krippahl disse...

Horácio

O objectivo é precisamente esse: Minimizar os erros e omissões dos projectos.

No limite, se o modelo reproduzir fielmente o edifício a ser construido, incluindo todos os trabalhos e especialidades, e se a base de dados (preços) associada a esse modelo for correcta e actualizada, então esses desvios serão sempre da responsabilidade dos projectistas.

Como dizia o tio do Peter Parker, "com maior poder vem maior responsabilidade".

Sonhar não custa...

Rafael Fernandes disse...

Aparentemente, trata-se de uma questão de fácil resolução. Basta determinar o preço unitário dos elementos construtivos, multiplicar pela quantidade ... e já está. Temos apenas de "arranjar" os preços para cada componente ...

Fora dos BIM, existem aplicações (quantity take off) q fazem coisas mto similares ... mas de forma integrada, calculando preços compostos, mais realistas q o simples preço/m2. A composição dos preços, ajuda a definir os rendimentos/m2 de mão de obra, as quantidades dos materiais, etc, etc ...

Esse “desejo” (perfeitamente realizável), depende mto da integração dos vários sistemas e módulos específicos pertencentes aos vários “mundos” e sub-mundos envolvidos: desde o financeiro/comercial (composição de preços), o industrial (fabricação de peças, execução de obra), passando pelo geométrico (projecto) e afins.

A virtude estará na conexão/interacção desses dois mundos (?)

Não querendo entrar em comparações desnecessárias, há softwares de BIM q já incorporam informações de custo dos elementos construtivos, q devidamente “actualizados”, permitem obter reports c/ estimativas realistas do custo do projecto, em tempo real.

RF

Miguel Krippahl disse...

Rafael

Sem dúvida que este é um tema do seu agrado, a comparação de software.

Bem sei que existe software integrado que faz isso.

Os que conheço melhor são o ArchiCAD e o Constructor, ambos da Graphisoft/Nemetschek, sendo que o último, dedicado à construção, é muitíssimo poderoso neste campo, talvez a única a incorporar correctamente a gestão de obra com a modelação 3D.

A questão não é essa. O que eu sonho é com um inteface simples e claro.

Sendo muito fácil para mim atribuir valores aos trabalhos a executar (com base no último mapa de medições e orçamento de um projecto meu) gostaria de ter uma lista simples, lincada ao modelo, que estivesse invisível e me fornecesse aquela janelinha.

Quanto a mim, os fabricantes de software não se têm que preocupar de onde vêm os preços, apenas em facilitar a sua introdução.

Rafael Fernandes disse...

Miguel ... isso parece q já é embirranção total com as minhas opiniões ...

Onde comparei os softwares? até tive o especial cuidado (para esse assunto tão sensível e delicado para ti), de dizer "não querendo entrar em comparações desnecessárias ...", sem referir sequer o nome do software em questão ...

Recebo como resposta acusaões de só querer comparar softwares ... francamente, eu não vejo as coisas só nessa perspectiva ... há mais vida para além disso.


... Não tenho culpa se o AC não tem o campo "Cost" associado aos objectos (pensava q tinha) ... olha, infelizmente ou felizmente a concorrência tem ... qual o mal? na próxima versão o AC poderá vir a ter ...

Se é q a minha opinião e experiência contam para alguma coisa, para controlar o custo dos meus projectos, uso um software ibérico (c/ desenvolvimento Pt), o "Arquimedes" (http://gestao.cype.pt/arquimedes/) ...

Trata-se de um software com composição de preços adaptado ao mercado pt, q importa e procede à gestão dos custos de projectos BIM realizados em Allplan da Nemetcheck AG, q recentemente comprou o AC ...

Contém no seu cabeçalho, nada mais nada menos, informação do estado do orçamento (actualizado em tempo real), de todo o budjet do Projecto, desde os honorários dos projectistas e consultores, passando pelas estimativas de obra, culminando no controlo de custos durante a evolução/execução da obra, detectando de forma autmática os desvios e derrapagens para cada item de obra ...

Espero não voltar a ser acusado de "comparações", não é isso q me move ...

RF

Miguel Krippahl disse...

Afinal, tenho outro sonho:

Que o caro Rafael cumpra o prometido aqui: http://bimbalhices.blogspot.com/2006/11/o-caminho-mais-fcil.html

e, passo a citar, "... boa sorte par o blog. Não chateio mais com estas quesões. " fim de citação.

Rafael Fernandes disse...

Bem, para a postura de um professor ... esta atitude tem mto q se lhe diga. Devemos saber ouvir a diferença, os pontos de vista do contraditório, por mais absurdos q sejam ... afinal há quem diga q "Tese + Antítese = Síntese"

(In)felizmente meu caro Miguel, hoje vivemos num mundo (supostamente) "livre", onde podemos (pelo menos) opinar livremente ... afinal o 25 de Abril de 74 (ocorrido há + de 30 anos) sempre nos serviu para alguma coisa, ou não?

O sonho manifestado remete para o meu silêncio aqui no blog, certo? ... é um convite à minha auto-censura, é isso?

Sempre existe a opção de retirar "comentários" do blog ... Penso q é mto mais fácil fazer isso q "comprar" o meu silêncio ...

Esperava e preferia debater ideias e não entrar pela via da pessoalização da discussão das opiniões "uni-pessoais" ...

Face às ideias concretas q tentei chamar à discussão nos meus post’s, o Miguel preferiu o ataque pessoal, ao ponto de desejar o meu silêncio ... enfim ...

... Se calhar é por estas e por outras q o Digníssino Professor António de Oliveira Salazar, aparece actualmente no topo da lista dos melhores portugueses ...

Eu prezo mto a "Liberdade", e tento cumprir criteriosamente o princípio q "a nossa liberdade termina onde começa a do outro".

Miguel, desculpe q lhe diga, o seu sonho interfere com a esfera da minha liberdade ... e q eu saiba, comentar “cordialmente” no seu blog (como eu faço), não interfere com a esfera da sua liberdade ...

RF

Patricia disse...

Hahaha Esse blog tá é ficando muito divertido!

Krippmeister disse...

A Patrícia tem razão, assim é muito mais divertido.

Agora sem querer comparar softwares, eu só queria dizer que o Freehand tem uma excelente gestão de páginas e o Illustrator não! ... apesar de eu trabalhar em Illustrator.

Revit_blog disse...

Polémicas á parte, mas existem softwares BIM que utilizam correctamente as 5 dimensões, 3D,tempo e custo, o que nos permite de uma forma correcta ir obtendo constantemente o valor do projecto em desenvolvimento.

Miguel Krippahl disse...

Sem dúvida.

Por exemplo, o Constructor.
Mas são softwares orientados para os construtores, e não para os designers.
O que eu quero é a possibilidade de ter a tal janelinha mágica, com um interface de introdução de dados fácil, no meu software de design.

Revit_blog disse...

Não serve o total duma tabela geral com os valores somados de todos os elementos?
Podemos criar uma exportação dos somatatórios via ODBC que vai manter actualizado os valores calculados numa caixa de VB

Miguel Krippahl disse...

Não serve. Isso já existe na maioria dos softwares BIM.

Para mim, tem que ser tão fácil, intuitivo e imediato como o 3D.

Daí a minha sugestão da janelinha que está sempre aberta, e que apenas mostra o valor total, actualizado cada vez que fazemos uma operação de modelação ou edição.

Revit_blog disse...

ok, j´ entendi, uma boa tarefa para os programadores. Depois dou noticias

kiká disse...

há uns tempo que ninguém comenta um seu post que tem como título " A Treta do lápis como extensão do cerebro", tendo eu comentado com uns meses em atrasado, e querendo relançar o tema, decidi postar aqui para o chamar à atenção... até breve

Ludwig Krippahl disse...

Se os preços e as quantidades estão guardados em tabelas, é fácil fazer um query e calcular a soma.

Manda-me um email com uma amostra das tabelas, que devo fazer isso sem problema.

Karin disse...

hehehe: o Ludi tem um Jónatas Machado e tu tens um Rafael Fernandes.